filmow.com/usuario/barbara_ocio_20/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > barbara_ocio_20
22 years (BRA)
Usuária desde Janeiro de 2016
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Gaúcha, consumidora de cappuccino e apaixonada pela 7ª arte.

♥ Inter, estaremos contigo! ♥

Observações:

1. não aceito solicitação de amizade para ficar como "enfeite", portanto não me add se a intenção for fazer número;

2. tenho uma seríssima "mania de limpeza". Em razão disso, não se ofenda se apagar seus recados, deixar de curtir listas que julgo poluídas com o passar do tempo, sair de grupos e apagar meus próprios comentários por achá-los mal escritos.

3. minha lista de favoritos está organizada em ordem alfabética. (essa informação é apenas com o intuito de me sentir melhor e mais organizada).

=)

Últimas opiniões enviadas

  • Bárbara

    Um filme com Anitta, Rafinha Bastos, Alexandre Frota e outros "artistas" oriundos da indústria cultural brasileira, carioquice em nível hard, piadas escatológicas, ufanismo barato, piadas de filmes nacionais que já são uma espécie de piada... O que esperar? Vergonha alheia em doses homéricas.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Bárbara

    De um lado temos Laney (A “Ela” do título, sacaram?), uma estudante comum de American school e até mesmo comum na sua Brazilian school mais próxima. Com características condenáveis nessa “relevante” fase da vida chamada adolescência – nerd, desleixada, de óculos, cabelo ensebado, monocelha e aspirante à pintora –, Laney não chama atenção dos guris e nem das gurias “populares”, só tem um amigo e vive meio isolada do mundo somente com o irmão purgante e o pai “engraçadão”, pois sua mãe morreu de câncer... Sim, sim, sim... Morreu de câncer. Claro que tinha que ter história trágica no meio para justificar o fato de Laney não saber como usar maquiagem.

    Do outro lado temos Zack, colega de Laney. Gato ao extremo, inteligente ao extremo, forte ao extremo, melhor nas exatas, nas humanas e nas biológicas também. Futuro aluno de Harvard e namorado da gostosa mór do Universo. Zack tem uma vida perfeita, mas se sente tão vazio... Ah, ah, ah... Para piorar a crise existencial de Zack, sua namorada deliciosa o troca por um participante de reality show de baixaria (ele é um ator? Não lembro direito dessa parte), mas Zack, do alto de seu 1,90 de físico forte, impávido, colosso, não se abala e diz para seus pseudoamigos algo como: “foda-se, acho outra melhor”. Um dos seus migos propõe uma aposta: Zack tem que transformar a garota mais feia do colégio na rainha do baile em um tempo determinado que não recordo, caso o contrário terá que pagar a aposta de uma forma que só é revelada no final do filme. Zack aceita o desafio como Hércules aceita os 12 trabalhos e parte em sua jornada de transformar a baranga escolhida a dedo pelo “amigo”, que é nada mais e nada a menos do que a Laney, a guria descrita acima. E adivinha o que acontece a partir daí?

    Se “Pânico” é o pioneiro de todos os filmes de terror teen dos filmes que surgiram no final dos anos 1990, “Ela é Demais” é o pioneiro em todos os besteiróis adolescentes posteriores à obra, na década seguinte. A premissa simples (garoto popular tenta transformar garota esquisita na rainha do baile) possui uma sátira à la “Todo Mundo em Pânico” chamada “Não é Mais um Besteirol Americano” (protagonizado pelo Chris Evans, na época das vacas magras), filme que tem em “She´s All That” seu enredo principal, mas também satiriza outros filmes adolescentes do final dos anos 1990, como por exemplo, o superestimado “Segundas Intenções”.

    No entanto, o roteiro não é o destaque do filme (por que será, né?), mas sim o elenco recheado de figuras conhecidíssimas atualmente (e na época), como por exemplo, Freddie Prinze Jr. (protagonizou incontáveis comédias românticas nos anos 1990 e só foi parado quando embarangou), Rachel Leigh Cook (que se não me falha a memória, recebeu uma indicação recente ao Oscar há uns 2, 3 anos), Matthew Lillard (Ô, Salsicha), Paul Walker (apesar de parecer uma versão magra do Ovelha feat. miojo no filme, virou galã e fez várias sequências daquela franquia acéfala de rachas), Jodi Lyn O’Keefe (fez outras comédias nesses moldes e até participou de Prison Break), Anna Paquin (parece uma princesinha fofa nesse filme, vencedora do Oscar por “O Piano” , fez uns X-Men da vida e uma série de vampiro que consome sangue sintético bem cultuada), Clea DuVall (participou de um monte de filme foda nos anos 1990, como por exemplo, “Garota, Interrompida” e “Prova Final”), Kevin Pollak (fez “Efeito Borboleta”, merece respeito)... E também de personalidades conhecidas no mundo da música, como por exemplo, Lil Kim (rapper que fazia coisas divertidas com o então casado Notorious B.I.G) e o cantor Usher (dispensa comentários).

    Eu já falei sobre “Kiss Me”, a música tema? Não? Então deixa pra lá!

    Vamos aos fatos que achei intrigante, pois revi esse filme essa semana e preciso desabafar após todos esses anos engolindo essa balela:

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    - Laney não era uma baranga. Era bem bonitinha. A única coisa que faz é se maquiar, cortar o cabelo, depilar a sobrancelha e colocar maquiagem. A tarefa de Zack era bem fácil e no filme parece que ele faz uma transformação na guria à la Gugu Liberato naquele “dia de princesa”.

    - Em que mundo paralelo guris bonitos são inteligentes e tão perfeitos fisicamente quanto um herói indianista de obras do Alencar? Isso não existe!

    - Por que colocam a Sarah Michelle Gellar para fazer uma participação especial de luxo e sem falas? Só pra gente se perguntar “Caralho. Aquela ali não é a Buffy?” e alguém dizer “Não. Tu achas que a Sarah Michelle Gellar iria fazer figuração em um filme desses? Deve ser uma atriz parecida”.

    - Que tipo de irmã ficaria quieta vendo dois pentelhos mostrar uma revista pornográfica para uma criança, comparar a garota nua com a mãe falecida do guri e tenta fazer com que o mesmo coma pelos pubianos em um pedaço de pizza?

    - E que tipo de pessoas comem os próprios pelos pubianos porque alguém manda? Ou os pelos do amigo?

    - Na cena do baile, temos uma coreografia incrivelmente executada pelos alunos como se fosse algo natural e sem qualquer ensaio. Como é possível algo desse tipo no ensino médio? Na minha escola, até as gurias que dançavam ballet eram péssimas.

    - Por que o Zack vai para a casa da Laney quando não a encontra com o Dean no Motel? A garota que eu acho que amo está desaparecida. Não encontro ela no Motel com meu ex-melhor amigo ensandecido por sexo... Oh, céus, o que eu devo fazer? Vou para a casa dela esperar enquanto vejo o pai e o irmão dela falarem de caça e pesca. PQP!

    - Quem deixa alguém entrar pelado em uma cerimônia de colação de grau?

    Anos 1990 e seus filmes ilógicos... E divertidíssimos!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Bárbara.